Maria
Prosa e Poesia
CapaCapa
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Ferida de Espinhos

Não sei mais onde abrigar minha alma fragmentada. Não há mais portas para entrar por elas – só encontro portas para sair e ir-me para longe de quem me feriu de espinhos... Já não sei mais o quanto cabe numa noite insônia, de chuva caindo dos olhos... O que há no fundo da minha retina? Talvez a palidez e o luto dos pensamentos, a dor de ser ré quando não errei, não cometi a injustiça com o outro. Não sei mais onde abrigar minha alma fragmentada. Não há mais portas para entrar por elas – só encontro portas para sair e ir-me para longe de quem me feriu de espinhos...
Maria
Enviado por Maria em 03/12/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários