Maria
Prosa e Poesia
CapaCapa
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos

Palavras do Silêncio
Ah, como doem as palavras do silêncio!
Como espadas cerradas que gritam ao vento.
Não sabem elas que o coração alvoroçado e insatisfeito,
chora, clama, sofre em busca do sol, o alento.

Tenta barganhar as vozes com canções do peito,
e perambula pelos mesmos caminhos feitos.
Ah, como doem as palavras do silêncio!
Como espadas cerradas que gritam ao vento.

Não sabe o coração que este caminho é estreito
e já longe vive o sol, indiferente ao choro lento.
Sem piedade, crescem as nódoas do tempo,
ardem como facas que agitam-se ao vento.
Ah, como doem as palavras do silêncio!
Maria
Enviado por Maria em 15/01/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários